Assessoria de imprensa: deve-se investir sempre, ou apenas em momentos estratégicos?

fevereiro 8, 2019

Por: Andrea Espírito Santo

A resposta mais  direta para essa questão é: depende dos objetivos da sua empresa. Algumas empresas acreditam que o serviço deve ser contratado apenas às vésperas de grandes eventos, em momentos de crise ou em outras necessidades pontuais. Outras apostam no resultado do serviço contínuo de assessoria de imprensa como parte de uma estratégia de fortalecimento de branding e relacionamento com o mercado.

Cada caso é um caso e não existe uma fórmula mágica. O único ponto essencial na contratação de serviços de uma assessoria de imprensa é alinhar detalhadamente o resultado esperado e como ele será mensurado. E esse “alinhamento” deve constar no contrato entre assessoria e assessorado.

Um aspecto que as empresas devem levar em consideração na hora de decidir se terão assessoria de imprensa permanente ou pontual, é que a relação de uma marca com jornalistas de redação leva um certo tempo para ser construída. Ou seja: uma marca já conhecida dos jornalistas como fonte para notícias relevantes e que tenha suas ações sempre divulgadas, sem dúvidas, terá mais possibilidades de conseguir boas publicações do que marcas só buscam visibilidade de vez em quando.

Sabe o ditado que diz que é necessário ser visto para ser lembrado? Pois bem, esse é outro pilar da assessoria de imprensa. Se uma marca só dá as caras na imprensa para o lançamento de um novo produto, por exemplo, pode ser que ela consiga um certo destaque por ser novidade, mas sem divulgar novas pautas para se fazer presente, certamente será esquecida pelos jornalistas. Será que vale a pena todo o esforço do assessor para depois ter sua marca “esquecida”?

Pensando em algo mais dramático: se a assessoria chega apenas no momento de apagar o incêndio de uma crise de imagem e depois não é feito um trabalho de médio a longo prazo para que a marca seja conhecida por seus pontos fortes e haja interatividade com o mercado em um momento de maior leveza, corre-se o risco do case negativo tomar lugar na mente das pessoas e a marca pode sentir o impacto negativo dessa estratégia .

Para finalizar, vale lembrar que apenas uma assessoria permanente poderá ser considerada uma ação de branding. Já uma assessoria de imprensa pontual produzirá uma determinada quantidade de releases e pautas sobre alguma ação, mas não sobre a marca em si.